domingo, 15 de julho de 2018

SUPORTADO POR BRIAN DE PALMA, TOM CRUISE LEVA A “MISSÃO: IMPOSSÍVEL” AO CINEMA

Gostar ou não de Missão: impossível (Mission: impossible, 1995), de Brian de Palma? Depende do que se espera encontrar. Gregos e troianos geralmente sabem o que os aguarda em produções do tipo. Se a intenção é somente a de ver um filme estruturado qual carrossel de ação contínua — repleto de explosões, movimentos mirabolantes e efeitos especiais de ponta (para a época da produção) —, tudo está OK. Se, além disso, também se deseja uma história coerente, apoiada em roteiro bem amarrado e enxuto, enriquecida por edição valorizadora de aspectos racionais além da visceralidade exposta aos borbotões, a situação resulta complicada. Não menosprezo aventuras cinematográficas de ação pura, inclusive as mais pauleiras. Duro de matar (Die hard, 1988), de John MacTiernan, é dos meus favoritos no setor. Já Missão: impossível desaponta. Baseia-se nas linhas gerais de famosa e homônima série televisiva dos anos 60 que explorava a tensão da Guerra Fria. No afã de se tornar produtor de sucesso, com controle milimétrico de todas as etapas do empreendimento fílmico, Tom Cruise resolveu reciclá-la. Atualizou o contexto geopolítico. Não há mais o “império do mal” soviético, mas a assanhada máfia russa que pouco liga para ideologias no afã de fazer negócios. Chamado para dirigir, Brian De Palma se viu submetido às vontades do ator-produtor de ego inflado. Guardadas as proporções, Cruise controlou o projeto como se fosse o próprio David O. Selznick à frente de ...E o vento levou (Gone with the wind, 1939), de Victor Fleming. Infelizmente, não possuía a perspicácia do lendário produtor. Seja como for, apesar de falho e decepcionante aos meus critérios, o empreendimento vingou e se abriu em muitas retomadas até hoje presentes na linha de montagem do cinema estadunidense. O agente Ethan Hunt (Cruise) voltou em Missão: impossível 2 (Mission: impossible II, 2000), de John Woo; Missão: impossível 3 (Mission: impossible III, 2006), de J. J. Abrams; Missão: impossível — Protocolo Fantasma (Mission: impossible — Ghost Protocol, 2011), de Brad Bird; Missão: impossível — Nação Secreta (Mission: impossible — Rogue Nation, 2015), de Christopher McQuarrie; e Missão: impossível — Efeito Fallout (Mission: impossible — Fallout, 2018), de Christopher McQuarrie. A franquia promete ir longe. Segue apreciação de 1996.






Missão: impossível

Mission: impossible

Direção:
Brian De Palma
Produção:
Tom Cruise, Paula Wagner
Paramount, Cruise/Wagner Productions
EUA — 1995
Elenco:
Tom Cruise, Jon Voight, Emmanuelle Béart, Henry Czerny, Jean Reno, Ving Rhames, Kristin Scott-Thomas, Vanessa Redgrave, Ingeborga Dapkunaite, Valentina Yakunina, Marek Vasut, Nathan Osgood, John McLaughlin, Rolf Saxon, Karel Dobrý, Andreas Wisniewski, David Shaeffer, Rudolf Pechan, Gaston Subert, Ricco Ross, Mark Houghton, Bob Friend, Annabel Mullion, Garrick Hagon, Jirina Trebická, Andrzei Borkowski, Maya Dokic, Sam Douglas, Oleg Fedorov, Carmela Marner, Mimi Potworowska, David Schneider, Helen Lindsay, Pat Starr, Richard D. Sharp, Randall Paul, Suzanne Doucette, Graydon Gould, Tony Vogel, Michael Rogers, Laura Brook, Morgan Deare, David Phelan, Melissa Knatchbull, Ion Caramitru, Marcel Iures e os não creditados Dale Dye, Keith Campbell, Michael Cella, Emilio Estevez, Harry Fielder, Toby Hinson, John Knoll, Paul Markham, Tina Simmons.



O ator-produtor Tom Cruise - intérprete de Ethan Hunt - e o diretor Brian De Palma


Missão: impossível, a exemplo de O fugitivo (The fugitive, 1993), de Andrew Davis, também transpõe para o cinema uma série de sucesso dos anos 60 da televisão estadunidense. Produzida pela Desilu Productions de 1966 a 1967 e pela Paramount Television de 1968 a 1973, Mission: impossible somou sete temporadas e 171 episódios — cada qual com aproximados 50 minutos, exibidos originalmente pela rede CBS (Columbia Broadcasting System). As tramas giravam em torno das peripécias dos agentes da Impossible Missions Force (IMF), grupo de elite da Central Inteligence Agency (CIA) escalado para resolver os casos mais espinhosos e intrincados de interesse do Ocidente — principalmente dos Estados Unidos — no cenário da Guerra Fria. Jim Phelps (Peter Graves) chefiava a equipe composta por Barnoy Culler (Greg Morris) — inventor, equivalente ao Q dos filmes de 007 — e Rollin Hand (Martin Laudau) — ilusionista e mestre em disfarces. Mais tarde, a formação dos agentes sofreu alteração: Grande Paris (Leonard Nimoy) substituiu Hand e o médico Doug Robert (Sam Elliott) se juntou ao grupo.


Chegava-se a duvidar da existência do IMF de tão secreto que era. Até membros do governo dos Estados Unidos o desconheciam. Os agentes levavam vidas discretas e se passavam por cidadãos no exercício de atividades normais. De 1988 a 1990 a Paramount Network Television reativou a série, exibida pelas emissoras da rede ABC (American Broadcasting Company). Teve vida curta: apenas duas temporadas compostas de 35 “missões” com Peter Graves de volta ao papel de Jim Phelps.


Sarah Davies (Kristin Scott-Thomas) e Ethan Hunt (Tom Cruise)


Nos primeiros anos, o sucesso de Missão: impossível entre os telespectadores estadunidenses foi relativamente repetido no Brasil. A série é resultado de um tempo alimentado pela paranoia decorrente da polarização ideológica entre Estados Unidos e União das Repúblicas Socialistas Soviéticas com a consequente corrida armamentista à base de ogivas nucleares. Alguns elementos sempre presentes de episódio para episódio ficaram na memória: o pavio em chamas das aberturas, o nervoso tema musical de Lalo Schifrin e a mensagem gravada de comunicação das missões — destruída em cinco segundos após se completar.


Deve-se a Tom Cruise a transformação de Missão: impossível em acontecimento cinematográfico. O filme, um lance arriscado, inaugura as investidas do astro na produção. Associou-se a Paula Wagner, sua agente desde que iniciou carreira no cinema e também neófita no ramo. Fundaram a Cruise/Wagner Productions. A parceira atuou discretamente nos bastidores enquanto o ator se envolveu freneticamente em todas as etapas da realização. Guardadas as devidas proporções, agiu como um David O. Selznick revivido. A exemplo do que este fizera com ...E o vento levou (Gone with the wind, 1939), de Victor Fleming, também tratou Missão: impossível como projeto de vida. Ciente de que a reputação empresarial estava em jogo, agiu com mão de ferro e olhos de águia. Participou ativamente da escolha do elenco, contratou Brian De Palma para dirigir, arregimentou e despediu roteiristas até a história atingir o padrão pretendido pelas mãos de Steve Zaillian e David Koepp, seguida da definitiva intervenção de Robert Towne. Sequer mereceram menção nos créditos os muitos profissionais que deixaram o projeto por desentendimentos com a produção e os simplesmente demitidos por não atingirem o nível esperado de colaboração. O excesso de zelo de Cruise deixou tenso o ambiente das filmagens. Controvérsias com Brian De Palma eram frequentes. Apesar dos desmentidos de parte a parte, o diretor não passou de mero cumpridor de ordens. Teve muitas diretivas desautorizadas.


Claire (Emmanuelle Béart)

Jack Harmon (Emilio Estevez) e Ethan Hunt (Tom Cruise)


Ambicioso, Missão: impossível tem padrão internacional. Três países emprestaram locações: Estados Unidos, Inglaterra e República Tcheca. Jim Phelps (Voight) é o único personagem da trama original. O centro das atenções é o agente Ethan Hunt (Cruise), expert em disfarces. Ele e Claire (Béart) — esposa de Phelps — são os únicos sobreviventes do IMF em malfadada missão em Praga. Além de presenciar a morte dos companheiros de equipe — sem nada poder fazer —, Hunt se converte em responsável pelo fracasso da operação e eliminação dos colegas. A CIA, representada por Kittridge (Czerny), passa a persegui-lo. Resta-lhe fugir para provar a inocência e identificar as causas da conspiração bem como os responsáveis.


Jon Voight faz o chefe Jim Phelps do IMF

Luther (Ving Rhames) e Krieger (Jean Reno)

Vanessa Redgrave no papel de Max

Ethan Hunt (Tom Cruise) e Kittridge (Henry Czerny)


A trama apresenta muitas surpresas — até demais. Deixa Jim Phelps — inicialmente dado por morto — e Claire em maus lençóis. Intrometem-se mafiosos soviéticos liderados por Max (Redgrave) e interessados na comercialização de segredos da Guerra Fria. Do início ao fim o espectador deverá contar com muita paciência e capacidade sobre-humana para elucidar os meandros de uma história confusa e mal contada. Apesar dos cuidados com o roteiro, a peça é inconvincente e cheia de furos. A narrativa acelerada salta por diversos pontos de ação. Muitas vezes é necessário adivinhar os acontecimentos e lutar por conta própria para completar lacunas.


Tom Cruise como o agente Ethan Hunt


Não há muita clareza ou coerência. Se o roteiro não ajudou, a edição pouco fez. Ficou mais preocupada em preencher com efeitos as correrias, explosões e hecatombes. Ação e tensão não faltam. No fundo, deixa a impressão de que a produção considerou relevantes apenas os aspectos que prendem a atenção pelo lado da visceralidade. Resta a confortável e frustrante opção de acompanhar burocraticamente a história e admirar o suporte tecnológico de ponta que garante movimentos mirabolantes. Exemplos: a espetacular explosão de um aquário com toneladas de água lançadas sobre Hunt; o protagonista pendurado por fios na secretíssima sala de computadores da CIA, na tentativa de buscar informações que o auxiliem e sem poder entrar em contato com paredes e piso de extrema sensibilidade; e, por fim, posicionado no alto de ultraveloz composição ferroviária no trajeto Inglaterra-França — portanto, sob o Canal da Mancha — e em duelo com um helicóptero. Se tais momentos prendem a respiração, não deixam de ser banais e cansativos. Confesso: fui obrigado a lutar contra o sono para ver até onde levaria tanta dispersão de energia e exposição de gadgets. É muito esforço para pouco aproveitamento. O melhor, mesmo, é a música-tema de Lalo Schifrin reciclada da série original.



  
Roteiro: Robert Koepp, Robert Towne, a partir de história de David Koepp e Steven Zaillian baseada em material de Bruce Geller para a série de TV. Produção associada: J.C. Calciano. Produção executiva: Paul Hitchcock. Música: Danny Elfman. Direção de fotografia (cores): Stephen H. Burum. Montagem: Paul Hirsch. Assistentes de montagem: Gordon Antell, Simon Cozens, Paul Elman, Mike Jackson, Nick Moore. Coloristas: Michael Healey, Denny McNeill. Corte do negativo: Theresa Repola Mohammed. Desenho de produção: Norman Reynolds. Supervisão da direção de arte: Frederick Hole, Jonathan McKinstry (não creditado). Decoração: Peter Howitt. Figurinos: Penny Rose, Timothy Everest (não creditado). Assistente de penteados: Seth Lombardi. Chefe de penteados: Eithne Fennel. Concepção da maquiagem: Jim Feldman. Efeitos especiais de maquiagem: Rob Bottin, Dave Elsey, Colin Ware, Thomas Floutz (não creditado). Efeitos óticos em lentes de contato: Richard Glass. Maquiagem principal: Amanda Knight. Maquiagem: Rose Procopio Barondess (não creditada). Penteados: Lynn Rodgers, Lisa Tomblin. Planejamento da maquiagem: Jirí Farkas. Próteses para Tom Cruise: Margaret Prentice. Técnico em lentes de contato: Jemma Scott-Knox-Gore. Gerência da unidade de produção: Steven Harding. Gerência de produção: Christine Bodelot, Guy Tannahill. Gerência de unidade de produção para a segunda unidade: Kevin De La Noy. Gerência de unidade em Praga: Michal Prikryl. Supervisão da pós-produção: Ruth Hasty. Assistência de direção: Oldrich Mach. Direção de segunda unidade: Ernest Day, Eric Schwab. Primeira assistência de direção da segunda unidade: Kevin De La Noy. Primeira assistência de direção: Chris Soldo. Segunda assistência de direção: Paul F. Bernard, Dana Maederova (Praga), Michael Stevenson, Lucie Stocková (Praga), Julian Wall (Praga). Terceira assistência de direção da segunda unidade: Martin Krauka. Terceira assistência de direção: Kate Hazell, Jirí Ostry (Praga). Adereços de vestuário: Colin Thurston (não creditado). Aquisições para o departamento de arte: Belinda Edwards, Brian Dott. Assistência da direção de arte: David Lee, Jan Zeman. Assistência de aquisições para o departamento de arte: Krissi Williamson. Carpintaria: David Coley, Robert Jackson, Thomas Martin, Chris Sibley-Hale, Jamie White. Carregador: Jamie Shelley, Mickey Woolfson. Concepção artística: Jim Feldman, Dick Lasley, Tom Southwell. Concepção do pôster: Ciara McAvoy (não creditado). Construções: Peter Brown. Contrarregra: Tony Allard, John Chisholm, Matt Chisholm. Coordenação do departamento de arte: Kate Garbett. Desenhos técnicos: Edward Ambrose, Peter Childs, Tracey Holmes. Estucador: Brian Pegg. Gerência de construções: Pavel Nový. Ilustrações: Anthony Chance. Pintura: Mark Dowling. Planejamento de computação gráfica: Simon Staines. Planejamento do set: Dawn Swiderski (VFX). Assistência da edição de diálogos: Steve Slanec (não creditado). Assistência da edição de som: Jessica Bellfort, Kevin Sellers, Maia Veres. Cabos: Tomas Cervenka. Edição da reposição automática de diálogos: Gwendolyn Yates Whittle (não creditado). Edição de diálogos: Michael Silvers, Gwendolyn Yates-Whittle. Edição de efeitos sonoros: Chris Scarabosio, Robert Shoup. Edição de ruídos de sala: Marianne Wilde, Matthew Wood. Gravação de som pela FX e assistência de planejamento sonoro: Tom Myers (não creditado). Gravação de som: Philip Rogers. Mixagem adicional de som: Ron Bartlett, Chris Jenkins. Mixagem da regravação som: Shawn Murphy, Gary Rydstrom, Gary Summers, Bob Edwards (não creditado). Mixagem de ruídos de sala: Tony Eckert. Mixagem de som playback: Larry Hopkins. Mixagem de som: David Crozier. Operador de boom: Clive Copland. Planejamento sonoro: Christopher Boyes. Regravação de som: Sean England. Reposição automática de diálogos: Michael Silvers (não creditado). Ruídos de sala: Tom Barwick, Tammy Fearing, Dennie Thorpe. Som utilitário: John Casali. Supervisão da edição de som: Tom Bellfort. Adereços de efeitos especiais: Edward J. Franklin (não creditado). Adereços especiais para efeitos especiais: Gustavo R. Ferreyra (Londres). Aquisição de computador para reprodução de vídeo: Nigel Nixon. Aquisição para efeitos especiais: Andrew Kelly. Assistente de efeitos especiais: David Watson Jr. Cabos de efeitos especiais: John Weller. Capataz de efeitos especiais: Kim Bailey (não creditado). Composição de efeitos especiais: Jules Findley. Concepção artística de efeitos especiais: Jim Feldman. Condução mecânica de ação por adereços: Andy Weder. Coordenação de efeitos especiais de maquiagem: Dawn Severdia (Rob Bottin Studio). Coordenação de efeitos especiais: Douglas D. Kelley (All Effects Company), Lyn Nicholson. Efeitos especiais de maquiagem: Cliff Wallace (não creditado). Equipe de criação de efeitos especiais: Josselin Mahot. Esculturas: Motoyoshi Hata (Rob Bottin Studio). Estagiários de efeitos especiais: Dave Roddham, Andrew Ryan, Gareth Wingrove. Inserção de movimentos por computador: Raul Essig. Modelagem: Art Pimentel (Rob Bottin Studio), Harold Weed. Oficina técnica de efeitos especiais: Trevor Wood. Planejamento de efeitos especiais: Christopher S. Ross (All Effects Company). Produção de efeitos especiais: Fernando Favila (Rob Bottin Studio). Supervisão de efeitos de fio: Robert Schofield. Supervisão de efeitos especiais: Eric Allard (All Effects Company), David Beavis, Ian Wingrove. Supervisão de solo para efeitos especiais: Terry Glass. Técnico de efeitos mecânicos: Robbie Clot. Técnicos de efeitos especiais: Trevor Butterfield, Gary Cohen, Terence J. Cox, Terry Glass, Kevin Herd, Roger Nichols, Roman Tudjarov, Jirí Vater. Arte animática digital pela IML e pré visualização: David Dozoretz. Arte conceitual em efeitos visuais: Mark Moore. Arte matte digital: Paul Huston (ILM). Assistência de câmera em efeitos visuais: Andy Stevens (Mágica Câmera Co), Robert Hill. Assistência de edição de efeitos visuais: Christopher Olness (ILM). Assistência de efeitos visuais: Tim Wellspring (CFC). Assistência de produção do grupo de filmagem: Janet Lewin (ILM). Assistência de recursos em computação gráfica: Michael Corcoran. Composição digital: John Hardwick (Cinesite Europa), Ed Hawkins (Cinesite Europa), Marshall Richard Krasser (ILM), Greg Maloney (ILM). Composição digital em efeitos visuais: Stephane Bidault (Cinesite Europe), Eddie Pasquarello, Jonathan Privett (Cinesite Europe). Composição digital e planejamento de efeitos visuais: Stella Bogh (CFC). Composição digital: Doug Tubach (não creditado), Matt Johnson (não creditado), Scott Frankel, Barnaby Robson, Thomas Rosseter. Composição em efeitos visuais: Fedele Rinaldi, Alexandra Altrocchi (ILM), Ginger Theisen (ILM). Composição senior em efeitos visuais: Mark Nettleton (Cinesite Europe). Computação gráfica: Ole Dieter Sturm. Coordenação de efeitos visuais: Ken Dailey (não creditado/Cinesite). Coordenação de miniaturas em efeitos visuais: David Dranitzke. Coordenação de platô para fotografia em tela azul: Erika Wangberg (Londres). Correspondência de movimentos digitais em efeitos visuais (ILM): Selwyn Eddy, Jodie Maier, Jodie Maier. Correspondência de movimentos em efeitos visuais: Guy Hudson (não creditado). Direção de arte em efeitos visuais: George Hull. Direção de fotografia em efeitos visuais para a sequência do desastre de helicóptero: Martin Rosenberg. Direção de fotografia em efeitos visuais: Kim Marks (London Bluescreen Photography Unit). Direção técnica de efeitos visuais: Karen Ansel (ILM), Samir Hoon, Greg Killmaster. Edição de efeitos digitais: Angela Leaper. Edição de efeitos visuais: Michael Gleason, Russ Woolnough. Efeitos digitais e animação: Tom Martinek (ILM). Efeitos digitais: Andy White (ILM), Christopher Townsend, Cordy Rierson, Dan B. Goldman, Jeff Wells (Pacific Title Digital), Jeffrey Benedict, Marc Chu, Michael Conte (ILM), Patrick T. Myers (ILM), Joe Pavlo (não creditado), Matt Kasmir, Russell Koonce (não creditado), Stu Maschwitz, Kenneth Nielsen. Efeitos pirotécnicos em efeitos visuais: Sheena Duggal (ILM). Efeitos visuais: Eve Ramboz. Eletricista-chefe de efeitos visuais: Michael Olague. Escultura e modelagem em efeitos visuais: Richard Miller. Fabricação de modelos em efeitos visuais: Alex Jaeger (não creditado/ILM), Ira Keeler (não creditado), John Goodson (ILM), Danny Wagner (ILM). Gerência de projetos em efeitos visuais: Stephen Sobisky (não creditado/Viewpoint Datalabs). Gerência de estúdios em efeitos visuais: Pete Hanson (CFC). Líder de composição digital e planejamento de efeitos visuais: Paddy Eason (CFC). Modelagem digital em efeitos visuais: James Doherty (ILM), Paul Theren. Modelagem tridimensional em efeitos visuais: Mathew C. Judd. Modelagem em efeitos visuais: Kim Smith. Operador de câmera de efeitos visuais: Stefan Lange. Operador de dados em efeitos visuais: Charles Tait (não creditado). Pirotecnia: Karl Nettmann (não creditado). Planejamento de efeitos visuais: Chris Panton (CFC), Dan Glass (CFC). Planejamento de modelagem mecânica em efeitos visuais: Jon Foreman, Scott McNamera, Eben Stromquist. Planejamento em computação gráfica: Simon Staines. Produção de digitalização e gravação em efeitos visuais: Kevin Phelan (CFC). Produção de efeitos digitais: Sharon Lark (Cinesite Europe). Produção de efeitos visuais: Alison O'Brien (CFC), Dennis Michelson (CFC), Roni McKinley (ILM). Restauração de placas digitais: Al Bailey, Scott Bonnenfant. Rotoscópio e pintura digital (ILM): Loring Doyle, Susan Kelly-Andrews, Drew Klausner, Terry Molatore. Sabre: Chad Taylor (não creditado/ILM). Staff de computação gráfica em efeitos visuais: Cary Phillips. Staff sênior em efeitos visuais: Jim Morris (ILM). Supervisão associada de efeitos visuais: Joe Letteri. Supervisão de computação gráfica: George Murphy (ILM), Thomas L. Hutchinson (ILM). Supervisão de digitalização e filmagem: Joshua Pines (ILM). Supervisão de efeitos digitais: Kim Libreri. Supervisão de efeitos visuais em computador: Andrew Eio. Supervisão de efeitos visuais: John Knoll, Richard Yuricich. Supervisão de fabricação de modelos em efeitos visuais: Steve Gawley. Supervisão de temporalização digital: Bruce Vecchitto (ILM). Supervisão digital de rotoscópio e pintura: Kevin Willmering (não creditado/ILM). Técnico de computador e vídeo para efeitos visuais: Matthew Kok. Técnico em efeitos especiais: Frank W. Tarantino (ILM). View painter: Susan Ross. Coordenação de dublês: Greg Powell. Dublês: Keith Campbell, Graeme Crowther, Ray De Haan, Tracey Eddon, Jamie Edgell, Dean Foster, Sarah Franzl, Gary Fry, Mick Hodge, Paul Jennings, Vincent Keane, Tom Lucy, Chrissy Monk, Gerard Naprous, Dinny Powell, Gary Powell, Lee Sheward, Keith Campbell (não creditado), Sebastiano Cartier (não creditado), Sarah Franzl (não creditada), Greg Powell (não creditado). Utilitários para dublês: Lee Millham (não creditado). Assistência de steadicam: Larry Huston (Londres). Assistência de câmera: Peter Batten, Tony Cridlin, Sandra Dillon, Shaun Evans, Kevin Fraser, Bill Geddes, Anthony Gregori, Rawdon Hayne, Andy Hopkins, Nick Pearson, Nigel Seal, Ron Shane, Richard Brooks Burton (não creditado), Rick Fee (não creditado). Câmera aérea: Michael Kelem (Washington D.C.). Direção de fotografia da segunda unidade: Ernest “Ernie” Day. Eletricista-chefe: Laurie Shane. Eletricistas: Andy Cole, Darren Flindall, Igor Jelen, Pat Miller, Robert P. Quiroz, Jaromir Simek, Petr Svoboda, Paul Borg (não creditado). Fotografia de cena: Richard Blanshard, Murray Close. Operador de câmera da segunda unidade: Peter Versey. Operador de steadicam: Larry McConkey. Operadores de câmera: Adam Dale (Wescam câmera), Gordon Hayman. Reprodução de vídeo em computador: Dominic Walton (não creditado). Técnico de contole remoto: Steven Desbrow (não creditado). Produção de elenco extra: Kenneth Chamitoff. Produção de elenco: Mali Finn (EUA), Patsy Pollock (Inglaterra). Produção associada de elenco: Emily Schweber. Assistência de figurinos: Kirsten Hecktermann, Verity Jackson. Confecção de costumes femininos: Jill Avery. Confecção de costumes masculinos: Adrian Simmons. Confecção de costumes no set: Sarka Zvolenska. Confecção de costumes para Tom Cruise: Nancy Thompson. Guarda-roupa: Bela Friedlová, Lisa M. Lewis. Supervisão de confecção de costumes: Hana Kucerova. Supervisão de guarda-roupa: Kenny Crouch. Supervisão diária de guarda-roupa: Marcus Love-McGuirk. Assistência de gerência de locações: Nicolas Foulatier (França), Richard Sharkey (não creditado). Assistência de locações: Hugh Gourlay. Gerência de locações: Sandrine Ageorges, Zdenek Fiala, Robin Higgs (segunda unidade), Simon Marsden (Praga), Simon McNair Scott, Ivan Vakarac. Pesquisa de locações: Olivier Servanin (França). Assistente de edição musical: Jacqueline Tager. Cantora: Joan Beal. Composição da música-tema: Lalo Schifrin. Contratação de músicos: Patti Zimmitti. Direção musical: Artie Kane. Edição de musical adicional: Kenneth Karman. Edição musical: Ellen Segal. Gravação da trilha musical: Shawn Murphy. Liberação musical: Marc Miller (não creditado). Músicos: Tom Boyd (oboé), George Doering, Craig Huxley (teclados e piano), Norman Ludwin, Maria Newman, Bryan Pezzone (piano). Orquestração: Steve Bartek, Mark McKenzie, Edgardo Fimone, Steven Scott Smalley. Preparação musical: Bob Bornstein. Produção musical: Kim Seiniger. Segundo edição musical: Sharon Smith (temporária). Capitão de transportes: Phil Allchin. Unidade de motoristas: Mark Davies. Coordenação de transportes: Zdenek Flídr. Motoristas: Václav Kocman, Gerry Turner. Armeiro: Jon Baker. Assistência da coordenação de produção: Marianne Jenkins. Assistente de instrução de diálogos em russo: Olegar Fedoro. Assistente executivo para Emilio Estevez: Mickey McDermott. Assistente para o diretor: Tania Clarke. Assistente para Paula Wagner: Sebastian Twardosz. Assistentes de produção: Phil Stoole (não creditado), Jonathan Weissler (não creditado). Conselheiro de criatividade: Dennis Muren. Consultoria técnica: Sue Doucette. Contabilidade: John Eccleston, Stefano Priori (segunda unidade), David Kerney (não creditado). Continuidade: Diana Dill, Kay Fenton. Contínuos: Sean Garman (Praga), Timothy J. Gorman, Nick Hopkins. Coordenação da produção: Patsy de Lord, Randy Tat. Coordenação de produção da segunda unidade: Lil Heyman. Coordenação de sistemas computacionais: Andrew Eio. Coordenação de vídeo: Chris Warren. Coordenação e piloto do helicóptero: David Paris. Engenharia de softwares: Graham Bartram. Instrução de diálogos: Cameron Watson, Constantine Gregory, Tim Monich. Intérpretes: Barbora Kolarova, Jana Kraliková, Daniela Pavlova, Martin Stanek, Dita Valentinova, Katerina Lahodova (não creditado). Marketing: Greg Ferris (não creditado/Canadá). Pilotos de helicóptero: Marc Wolff, Robert 'Bobby Z' Zajonc (Washington D.C.). Planejamento de créticos iniciais e finais: Kyle Cooper. Principal assistente de produção: Martin Sebik (República Tcheca). Produção associada: Michael Doven. Produção da equipe: Jean-Pierre Verard. Publicidade: Kathy Orloff. Secretaria da produção: Pavlina Prikrylova. Supervisão de alimentação: Robin Demetriou (não creditado). Técnico: Justin Owen. Agradecimentos especiais da produção a: Monsieur Jean-Pierre Haubensack. Companhia de composição digital, controle remoto, pintura e rastreamento: The Computer Film Company (CFC). Companhia de efeitos digitais: The Computer Film Company (CFC). Companhia de efeitos especiais de maquiagem: Rob Bottin Productions. Companhia de efeitos especiais, visuais e de animação: Industrial Light & Magic (IML). Companhia de efeitos especiais: All Effects Company, Cinesite. Serviços digitais: Cinesite. Companhia de coordenação aérea: Flying Pictures (Escócia). Companhia de efeitos óticos: General Screen Enterprises. Equipamentos de câmera e luz: Lee Lighting. Equipamentos de câmera: Panavision. Estúdio de efeitos óticos: Pacific Title. Estúdio de gravação da trilha musical: Mother Records. Estúdio de impressão fotográfica: DeLuxe Laboratories. Estúdios de créditos principais: Imaginary Forces. Estúdios de filmagem: Pinewood Studios. Facilidades de estúdios em Praga: Barrandov Studios. Firma de edição: Lightworks. Fornecimento de câmeras e dollies: Chapman/Leonard Studio Equipment. Fornecimento de wescam: Wescam USA. Jardinagem e vegetação: Palmbrokers. Masterização de filmes digitais: Post Logic Studios. Partitura musical: Point Music. Planejamento de créditos iniciais e finais: R/Greenberg Associates (West). Publicação de trilha musical: Mother Records. Revelações diárias: Rank Film Laboratories. Sequência de televisão: British Sky Broadcasting (BSkyB). Serviços de masterização digital em laserdisc: THX Ltd. Serviços de pós produção sonora: Skywalker Sound. Tomadas especiais: National Aeronautics and Space Administration (NASA). Veículos de filmagem: Dream Cars. Sistema de mixagem sonora: DTS Dolby Digital SDDS. Tempo de exibição: 110 minutos.


(José Eugenio Guimarães, 1996)

Nenhum comentário:

Postar um comentário