domingo, 8 de fevereiro de 2015

UM COMOVENTE E DISCRETO DRAMA DE GUERRA AMBIENTADO NA FLORESTA DAS ARDENAS

Da novela do estadunidense William Wharton, A midnight clear, o diretor Keith Gordon extraiu o roteiro de Noites calmas (A midnight clear, 1992), discreto mas comovente drama bélico com ação ambientada na Floresta das Ardenas — fronteira da França com a Alemanha — durante o Natal de 1944. É o penúltimo ano da Segunda Guerra Mundial. A unidade estadunidense sob comando do Sargento Will Knott (Ethan Hawke), improvisada em grupo de inteligência, experimenta inusitado e traumático contato com soldados alemães cansados de guerra e dispostos a depor as armas. O filme, longe de ser uma encenação de grandes e explosivos combates, desenvolve mais os efeitos do conflito em jovens que o vivenciaram. Os personagens são críveis em seus esforços para ludibriar a morte e a desumanização. Noites calmas é, guardadas as devidas proporções, digno sucedâneo de clássicos antibelicistas como Nada de novo no front (All quiet on the western front, 1930) e Um passeio ao sol (A walk in the sun, 1945), dirigidos por Lewis Milestone, e Também somos seres humanos (The story of G.I. Joe, 1945), de William A. Wellman. Foi indicado, em 1993, ao Independent Spirit Award de Melhor Roteiro.








Noites calmas
A midnight clear

Direção:
Keith Gordon
Produção:
Dale Pollock, Bill Borden
A&M Films, Beacon Communications
EUA — 1992
Elenco:
Peter Berg, Kevin Dillon, Arye Gross, Ethan Hawke, Gary Sinise, Frank Whaley, John C. McGinley, Larry Joshua, David Jensen, Curt Lowens, Rachel Griffin, Timothy S. Shoemaker, Kelly Gately, Bill Osborn, Andre Lamal e os não creditados Jim Beatty, Matt Bohling, Robert Chynoweth, John English, Michael Van Wagenen.



Keith Gordon, diretor e roteirista


Noites calmas é filme de guerra atípico. Não apresenta soldados avançando com arrojo e determinação pelas linhas inimigas, correndo, disparando fuzis, rastejando, lançando morteiros. Distante de todo o espalhafato que costuma caracterizar o gênero, não se está diante de produção que mostra o vigor da ação em seus aspectos mais viscerais, parecendo conduzida por super-homens desprovidos de medos, tensões e conflitos. Outras coisas são mostradas neste filme dirigido e roteirizado por Keith Gordon a partir da novela A midnight clear de William Wharton, escritor estadunidense e soldado das linhas de frente do Segundo Grande Conflito Mundial. Noites calmas não trata propriamente da guerra em termos de grandes combates, mas da experiência de homens que a vivenciaram. Apresenta personagens críveis, jovens com toda a vida pela frente tentando ludibriar a morte e a desumanização. Neste particular, é digno sucedâneo de realizações de Lewis Milestone como Nada de novo no front (All quiet on the western front, 1930) e Um passeio ao sol (A walk in the Sun, 1945), e de William A. Wellman, Também somos seres humanos (The story of G.I. Joe, 1945). Foi, em 1993, indicado ao Independent Spirit Award de Melhor Roteiro.



Acima e abaixo: Vance "Mother" Wilkins (Gary Sinisi) em desespero


Começa com uma sequência anticonvencional. De uma trincheira, na floresta nevada, um soldado extravasa lamento desesperado a plenos pulmões. A seguir, sai em disparada. Livra-se do armamento e das roupas. Detém-se no leito congelado de um lago. O companheiro, em seu encalço, recolhe as peças abandonadas. O primeiro é Vance Wilkins (Sinisi), apelidado de Mother. Perdeu o equilíbrio emocional ao receber a notícia da morte do filho que, provavelmente, não conheceu. O segundo é Will Knott (Hawke), recém-promovido a sargento, temeroso com a possibilidade de ter o nome alterado — devido à semelhança com will not — para a contração Won’t. A ação se passa na Ardenas, território francês próximo à fronteira com a Alemanha, nas vésperas do Natal de 1944, penúltimo ano da guerra. Will Knott lidera o pelotão estadunidense formado, além de Mother, por Paul Mundy (Whaley), apelidado de Father, Stan Shutzer (Gross), Mel Avakian (Dillon) e Bud Miller (Berg). O grupo, formado por soldados de alto QI, é elevado pelo Major Griffin (McGinley) — burocrata sem experiência de combate, dado a tecer ilações simplórias — em unidade de inteligência. Recebe ordens de avançar, instalar posto de observação em moradia abandonada a curta distância do território alemão e informar sobre possível contraofensiva inimiga[1].


O sargento Will Knott (Ethan Hawke)

A improvisada unidade de inteligência


Assim que chega ao posto a unidade se depara com algo surreal. De pé, mortos e congelados pela neve, dois soldados — estadunidense e alemão — encostados um ao outro parecem evoluir em estranha dança. A cena prepara a apresentação de todo o resto.


O grupo organiza a vigília em duas trincheiras. Do outro lado da fronteira, sete soldados alemães estão abrigados. As vozes levadas pelo vento põe os contendores em contato. Situações insólitas à guerra passam a acontecer. A patrulha formada por Knott, Shutzer e Miller fica ao alcance do fogo inimigo, mas retorna ilesa à base. Numa noite, diante da trincheira americana, os alemães improvisam celebração natalina. Sob as luzes de um pinheiro improvisado em árvore de Natal, cantam Oh tannenbaum. Atônitos, os americanos respondem com Silent night. Logo explode insólita batalha: os alemães atiram bolas de neve sobre os americanos e são retribuídos da mesma forma. Os inimigos, desconfiados, estabelecem contato verbal. Trocam presentes. Os alemães são sobreviventes da frente russa. Cansados, sabem que o fim está próximo e pretendem sair ilesos, entregando-se. Mas precisam simular um combate, pois a simples rendição pode resultar em represálias, da parte do alto comando alemão, aos seus familiares. Knott e liderados entram em acordo com os alemães. Apenas Mother, psicologicamente abatido, não participa das negociações. Cada vez mais taciturno e arredio, afirma aceitar contato com alemães somente em combate real.


O sargento Will Knott (Ethan Hawke) e o soldado Bud Miller (Peter Berg)


Segue-se o previsto. Os grupos se encontram na base alemã. Começam a atirar para o alto, na simulação da contenda. No entanto, deixado propositalmente para trás, Mother ouve os tiros. Pensa que os companheiros estão em perigo e corre para salvá-los. Abre fogo contra os alemães. Estes, sentindo-se traídos, disparam contra os americanos. A luta simulada cede lugar à carnificina. Do lado alemão apenas um sobrevive. Dentre os americanos Shutzer tomba gravemente ferido; Father, o mais lúcido e racional, morre depois de exigir de Knott total amparo e proteção a Mother. Os feridos, enviados ao quartel general, não resistem às condições de transporte providenciadas pelo Major Griffin (McGinley).


Will Knott (Ethan Hawke)

  
Perplexos com os eventos, os americanos permanecem no posto de observação até o início da prevista contraofensiva alemã, quando empreendem fuga acidentada com o corpo de Father. Descobrem-se deixados para trás. Depois de muitos incidentes são localizados por patrulha aliada e reintegrados à unidade de origem.


Os sobreviventes da unidade de inteligência batem em retirada com o corpo de Father (Whaley)


Noites calmas provoca, de imediato, empatia entre o espectador e os personagens, tanto americanos como alemães. São jovens que deveriam estar no gozo da primavera de suas vidas. Por força das circunstâncias são obrigados a desperdiçá-la em postos avançados e trincheiras, prontos a morrer de modo banal e estúpido, a qualquer momento. Quanto aos alemães, convém não esquecer — como eles mesmos ressaltam: nem todos eram nazistas e admiradores de Hitler e seu Reich de mil anos. Também eram indivíduos comuns e anônimos que tentavam sobreviver a duras penas.


Uma das sequências mais significativas de Noites calmas tem lugar longe da zona de guerra. Knott, Shutzer, Avakian e Miller, prestes a entrar em combate, resolvem que é hora de viver a primeira experiência sexual. Num quarto de hotel, em fila, esperam pelo atendimento de Janice (Griffin). Mas ela está emocionalmente abalada. Teve o namorado morto em combate. A situação da moça constrange os rapazes. Todos se retraem. Terminam dormindo juntos, inclusive Janice. Durante a noite, em silêncio, ela os satisfaz, um a um. O namorado, provavelmente, teria a mesma idade desses jovens combatentes. A sequência, muito bonita, deve a realização totalmente à câmera, iluminação e aos atores. Estes se entregam sinceramente aos personagens e são o que há de melhor no filme. Impossível não sentir a inexperiência de Knott e o desequilíbrio de Mother. Ambos permitem a Ethan Hawke e Gary Sinisi alguns dos melhores momentos de suas carreiras.


A unidade de inteligência prestes a contatar os alemães


Apesar de ser filme de guerra, Noites calmas se vale de pequenos gestos, expressões contidas, olhares carregados de dúvidas e perplexidade diante do insólito das situações. A direção valoriza esses momentos. O tom transmitido é nitidamente humanista e antibelicista. Revela o ser humano — com tudo o que isso significa — escondido sob o equipamento de todo soldado, não importa o lado que ocupe no conflito.





Roteiro: Keith Gordon, com base em A midnight clear, novela de William Wharton. Produção executiva: Armyan Bernstein, Tom Rosenberg, Thomas A. Bliss, Sona Partayan. Produção associada: Margaret Hilliard, Jenny Manriquez. Música: Mark Isham. Direção de fotografia (cores): Tom Richmond. Montagem: Don Brochu. Produção de elenco: Gary M. Zuckerbrod. Desenho de produção: David Nichols. Direção de arte: David Lubin. Decoração: Janis Lubin. Figurinos: Barbara Tfank. Penteados e Maquiagem: Gina Homan. Assistente de maquiagem: Ryan Marie McCormick. Assistente de penteados: Tena Parker, Larry Pennington. Efeitos especiais de maquiagem: Douglas J. White. Planejamento de maquiagem especial: Allan A. Apone (não creditado). Gerente de unidade de produção: Margaret Hilliard. Primeiro assistente de direção: Scott Javine. Segundos assistentes de direção: Andrew Langton, Troy Rohovit. Carpintaria: Scott D. Anderson, Patrick Fortune, Todd Hainsworth, Richard Harman, Fred Rindlisbacher, Steve Steinfield. Plantações: Skip Atkinson. Capataz de construções: T. Lynn Clark. Arte cênica: John Chad Davis, Gigi Lorick, Edward T. McAvoy. Swing gang: James Derum, Ron Shelby, David Wall. Assistente de contrarregra: Lisa Eager. Contrarregra: Mark 'Digger' Green, Terry Haskell. Assistentes de pinturas: John R. Helton, Gloria Murphy. Planejamento de sets: Kalina Ivanov, Jeffrey D. McDonald. Trabalhos braçais: Phillip Jensen, Michael R. Johnson, John M. Kohler. Esculturas: Nickle Lauritzen. Chefe de turma: Brian Lives. Assistente de coordenação de construções: Randall 'Twister' Long. Coordenação do departamento de arte: Milinda Okamura. Mill foreman: Ray A. Versluys. Supervisão da mixagem regravada: Mark Berger. Operador da sala de máquinas: Loren Byer, Gregory R. Simon. Operador de boom: Flash Deros. Assistente de mixagem de ruídos de sala: Malcolm Fife. Aprendizes de edição de som: Matthew Heffelfinger, Ronald A. Pike. Ruídos de sala: Samuel H. Hinckley, Jennifer Myers, Margie O'Malley, Michael Semanick. Cabos: Andre Lamal. Supervisão de combinação de sons: Mark Levinson. Planejamento de som: Douglas Murray. Produção da edição de som: John Nutt. Gravação de som: Dan Olmsted, Phillip Rogers. Mixagem da regravação de som: David Parker. Supervisão da sala de máquinas: W. Philip Rogers. Mixagem de som: John 'Earl' Stein. Assistente de edição de som: Kristen Gerstner (não creditado). Mixagem da combinação de som: Tommy Goodwin (não creditado). Mixagem de ruídos de sala: Tommy Goodwin (não creditado). Coordenação de efeitos especiais: Rick Josephsen. Assistente de efeitos especiais: Ken Nossack. Dublês: Chad Camilleri, Tim A. Davison, Paul Godwin, Norman Howell. Coordenação de dublês: Steve M. Davison. Eletricistas: Robert Bennett, Michael Cook, Bruce Hamme, Patrick Lennon, Chris Reddish, Patrick Reddish, Adam Smith. Fotografia especial: Richard Cheatle. Grua: Jason Fife, Julie Fife, Chava Monjaraz, Alan Oakes. Primeiro assistente de câmera: David Kessler. Fotografia de cena: John Kiddie. Segundos assistentes de câmera: Mike Lookinland, Patrick Reddish. Carregador de câmera: Stuart Nord. Controle da dolly: Alvin Simmons. Boys do departamento de eletricidade: John Vecchio, Alesia Walser. Produção de elenco em Utah: Cate Praggastis. Guarda-roupa: Sheri Borup. Supervisão de figurinos: Lawane Cole. Guarda-roupa adicional: J. Craig Nannos. Assistente de figurinos: Kelly Jean Newman-Dye. Costuras: Marsha Barton (não creditada). Primeiro assistente de montagem: Doug Boyd. Corte do negativo: Gary Burritt. Coordenação de pós-produção: Jenny Manriquez. Segundo assistente de montagem: Dana Mazzola. Aprendiz de montagem: Irene Schonwit. Color timer: Dan Muscarella (não creditado). Consultoria musical: G. Mark Roswell. Orquestração: Sandy DeCrescent (não creditado). Coordenação de transportes: Larry Alexander, William 'Fleet' Eakland. Motoristas: Bobby Butcher, Lonnie Mace, Jeanne Murphy, John Murphy, Jim Patterson, Pat Stubbs, Paul Thomas, Karman Graham Franck (não creditado). Veículos militares: James Holmes. Pesquisa de locações: Michael Anderson. Adequação de trajes: Marsha Barton. Alimentação: Steve Bokolas, Ron 'Gypsy' Parkin. Assistente de produção: Ron L. Brinkerhoff, Sarah Loftin. Excutivo de desenvolvimento: Ross Cânter. Serviços especializados: Lynn Cier, Timothy S. Gibbons. Gerente de locações: Carole Fontana. Publicidade: Karen Fried, Brad Stephens (não creditado). Continuidade: Steve Gehrke. Assistente de auditoria: Nancy Govednik. Principal assistente de produção no set: Nancy Henkle Green. Assistente para o diretor: Rachel Griffin. Produção da auditoria: Cheri Hall. Assistente de coordenação: Dru Homer. Gerência da neve: Arlan Kohler, Phil Sharp. Assistente para Dale Polock: Gloria Lopez. Segurança: Jeff Lukenbach, Alex Woodside. Contabilidade da pós-produção: Mary Montiforte, Sam Montiforte (não creditado). Complementação financeira: Ed Morey., Tekla Morgan. Coordenação de produção: James Passanante, Judi Voye. Assistência médica: Linda Van Voorhis, Ron Van Voorhis. Consultoria-técnica: Dennis W. Zerull. Produção de efeitos especiais: Makeup Effects Laboratories. Facilidades de montagem: Arriflex cameras and lenses, Big Time Picture Company. Folha de pagamento: Bon Bon Productions Ltd. Treinamento militar: C'est le Guerre Inc. Serviços de comunicações: Capstone Communications. Produção de tempo nevado: Columbia Sportswear. Revelação e cópias: Consolidated Film Industries (CFI). Garantias financeiras: International Film Guarantors. Serviços de negativos: Kona Cutting. Serviços de segurança: Near North Insurance Brokerage. Créditos e efeitos óticos: Pacific Title. Câmeras e lentes: Rocky Mountain Motion Pictures. Serviços de som: Saul Zaentz Film Center. Processamentos de fotografias: Silver Lab. Empresa de publicidade: Susan Culley & Associates. Serviços de alimentação: Unique Catering. Sistema de mixagem de som: Dolby. Tempo de exibição: 108 minutos.


(José Eugenio Guimarães, 2012)



[1] Tal contraofensiva, baseada principalmente no poder de blindados, passou à história com os nomes de Batalha de Bulge ou Batalha das Ardenas. Durou de 16 de dezembro de 1944 a 25 de janeiro de 1945. Foi, provavelmente, a última tentativa das forças alemãs de recuperar terreno perdido na frente ocidental desde o desembarque aliado na Normandia.