BREVES E JUSTAS PALAVRAS SOBRE O CRISTO DE PIER PAOLO PASOLINI



O EVANGELHO SEGUNDO SÃO MATEUS
Il vangelo secondo Matteo

1964





Direção:

Pier Paolo Pasolini




Conforme reconheceu o próprio Vaticano, o melhor filme sobre Jesus Cristo é este  indubitavelmente: O evangelho segundo São Mateus (Il vangelo secondo Matteo, 1964), dirigido pelo ateu, comunista e homossexual Pier Paolo Pasolini.



O líder sindical espanhol Enrique Irazoqui no papel de Jesus Cristo


Realização belíssima, em estado de afresco em movimento, posta em exposição tão logo concluída — de pronto — pela alma inspirada do artista. É como se Pasolini julgasse dispensável qualquer pincelada extra, pois só empobreceria a força, sinceridade e autenticidade da criação.



Domingo de Ramos em Jerusalém, segundo a tradição cristã


Humanidade e poesia estão conjugadas em cada plano. Aliás, é composição poética que "verseja" e pontua com os primeiros planos — alguns dos mais expressivos do cinema.



Margherita Caruso - acima - no papel da jovem Maria e Susanna Pasolini como Maria idosa


Mel Gibson deveria ter visto O evangelho segundo São Mateus antes de aventurar pelo seu pretensioso e aterrador festival de sangue e tripas, A paixão de Cristo (The passion of the Christ, 2004) — explícita carnificina capaz de provocar enjoo em Fred Krugger das longas noites de pesadelo e no Jason das intermináveis sexta-feira 13. Aliás, o filme de Gibson está mais para realização de terror ao estilo do sensacionalismo "al gore", mesmo.


Enrique Irazoqui e Pier Paolo Pasolini nos bastidores de O evangelho segundo São Mateus 






(José Eugenio Guimarães, 2015)

2 comentários:

  1. Enhorabuena Eugenio, muy buena reseña, no la había visto antes.
    Mucha razón en tu análisis, el tratamiento que hizo sobre el evangelio mucho más comprometido y descarnado pero con sensibilidad, lo comparto. Un saludo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não chega a ser propriamente uma resenha, Xus Climent. É mais a ênfase em alguns aspectos que reconhecem a importância ímpar desta realização de Pasolini em seu esforço de trazer um retrato os mais humano possível de Jesus. Em todo caso, muito obrigado por sua apreciação. Na verdade, a resenha que tenho deste filme ainda não foi publicada no blog.

      Abraços.

      Excluir