domingo, 27 de julho de 2014

UM FEÉRICO MUSICAL E UMA LOUCA COMÉDIA PELA SALVAÇÃO DE UM ORFANATO

Se você não gostar da música, poderá apreciar a comédia. Também há chances de desprezar a música e valorizar o dado cômico. O mais certo, porém, é a possibilidade de se sentir atraído pela dupla identidade de Os irmãos cara-de-pau (The Blues Brothers, 1980), de John Landis. É realização das mais agradáveis, despretensiosas e envolventes. Apesar de orçada em astronômicos — para a época — 33 milhões de dólares, não sucumbiu ao peso do aparato da produção. A narrativa é dinâmica e ágil. Entretanto, foi um tremendo fracasso de público e crítica na ocasião do lançamento. A redenção se deu lentamente, via divulgação à boca pequena pelos aficionados que catapultaram as vendas em vídeo. Una-se aos esforços de Jake (John Belushi) e Elwood (Dan Aykroyd) para salvar o orfanato em que foram criados. 







Os irmãos cara-de-pau
The Blues Brothers

Direção:
John Landis
Produção:
Robert K. Weiss
Universal
EUA — 1980
Elenco:
John Belushi, Dan Aykroyd, Steve Cropper, Donald 'Duck' Dunn, Willie Hall, Tom Malone, Lou Marini, Matt Murphy, Willie 'Big Eyes' Smith, Luther 'Guitar Jr.' Johnson, Calvin 'Fuzz' Jones, Carolyn Franklin, Brenda Bryant Corbett, Margaret Branch, De'voreaux White, Sheilah Wells, Lou Perryman, Stan Mazin, Russ Bruzek, Blair Burrows, James Brown, Aretha Franklin, Ray Charles, Cab Calloway, John Lee Hooker, Tom Erhart, Gerald Walling SJ, Jack Callahan, Gil Pearson, Steve Lawrence, Aaron Jais, Walter Levine, Frank Oz, Kathleen Freeman, Alonzo Atkins, Chaka Khan, James Cleveland's, Steve Williams, Southern California, Community Chour, Armand Cerami, John Landis, Kristi Oleson, Gary McLarty, Cindy Fisher, Carrie Fisher, Joe Cuttone, Shotgun Britton, John Candy, Toni Fleming, Murphy Dunne, Lemetrius Daniels, Jeff Cahill, Curt Clendenin, Steve Cruz, Leonard Daniels, Sean Haydon, Babatunde Myers, Gary Patzik, J. Bernard Walton, Butch Williams, Wally Engelhardt, Michael Klenfner, Ralph Foody, Lenny Garner, Andrew Goodman, Edward Donno, Steven Spielberg, Joe Walsh, Shirley Levine, Alan Rubin, Henry Gibson, Twiggy, Jeff Morris, Charles Napier, Steven Williams, Stephen Bishop, Judy Jacklin, Rosie Shuster, Paul Reubens, Ben Piazza, Gwen Banta, Lari Taylor, Elizabeth Hoy, Tony M. Conde, Eugene J. Antohony, Dean Hill, Gary Houston, Jack Orend, Gene Schuldt, Charles Mountain, Walter Horton, 'Pinetop' Perkins, Pee-Wee Herman, Gene Janson, Paul Butler (cenas eliminadas) e os não creditados James Avery, Raven De La Croix, James DuMont, Tony Farella, Kevin Huotari, D'Janine King-Lasky, Norman Matlock, Mr. T, Vicki Petite, John Ring, Steven Rozic, Paul Swearingen, Bill Telfer.



O diretor John Landis


Do blues ao jazz, do country ao rock, famosos nomes da música popular estadunidense se unem a Jake (Belushi) e Elwood (Aykroyd) — os irmãos do título, personagens originais do programa de televisão Saturday night live. Ambos devem cumprir missão de responsabilidade divina: impedir o fechamento, pela Prefeitura de Chicago, do orfanato onde foram criados. A casa deve 5 mil dólares de impostos atrasados e o prazo de quitação é de apenas 11 dias. Jake — mal saído da prisão — e Elwood visitam “Pinguim” (Freeman) — freira diretora da instituição — e são informados do problema. Na tentativa de solucioná-lo, seguem o conselho de Curtis (Calloway), funcionário do lugar, e vão ao templo do reverendo Cleophus James (Brown). Chegam no momento em que a assistência ao culto vivencia situação de êxtase coletivo. Tomado pelo transe, Jake recebe uma iluminação: reunir os membros dispersos da banda que liderava com Elwood, realizar algumas apresentações e quitar os impostos com o dinheiro dos ingressos.


Curtis, interpretado por Cab Calloway

James Brown como o reverendo Cleophus James

Jake (John Belushi) e Elwood (Dan Aykroyd)

Ray Charles entre Elwood (Dan Aykroyd) e Jake (John Belushi)


Para dar conta do recado os irmãos iniciam uma correria sem fim, intercalada por frenéticos números musicais, canjas para a exibição dos talentos de Cab Calloway, Ray Charles, Aretha Franklin, John Lee Hooker, James Brown, Lou Marini, Matt Murphy etc. Enquanto isso, envolvem-se em inúmeras molecagens e trapalhadas que acabam por lhes render inúmeros desafetos: a polícia de Chicago, uma agremiação neonazista, um grupo de música country, o dono de um bar e a ex-namorada (Carrie Fisher) de Jake. Tudo converge para um clima de comédia pastelão à base de explosões, desabamentos, depredações, choques de veículos e, segundo consta, a mais formidável e furiosa sequência de perseguição automobilística do cinema estadunidense. No fim, o Exército, a Swatt e os bombeiros se juntam à caça aos irmãos. Jake e Elwood são presos imediatamente após a quitação da dívida.


A freira 'Pinguim' (Kathleen Freeman) expõe aos irmãos a delicada situação do orfanato

John Lee Hooker como Street Slim

Mrs. Murphy, vivida por Aretha Franklin

A perseguidora misteriosa (Carrie Fisher) é ex namorada de Jake (John Belushi)

  
A crítica em geral fechou a cara para Os irmãos cara-de-pau. Ao que parece ficou escandalizada com o estratosférico orçamento de 33 milhões de dólares. É muito dinheiro, não há dúvida! Frente a um custo desse porte, é muito difícil, a qualquer filme, não sucumbir ao peso da produção. Felizmente isso não aconteceu com a história contada por John Landis. Possui ritmo, agilidade e descontração. Muito dificilmente ficaria mais solta, aprazível e despretensiosa. É realização das mais agradáveis e envolventes. Se o espectador não for atraído pela comédia, certamente não ficará indiferente aos feéricos números musicais. Belushi e Aykroyd, sempre trajados de negro, estão ótimos. Mas o melhor mesmo é o instante em que o carro da dupla nazista é lançado ao espaço  antecipando em 11 anos a antológica queda de Gena Davis e Susan Sarandon no Grand Canyon ao final de Thelma e Louise (Thelma & Louise, 1991), de Ridley Scott: um olha para a cara do outro e diz: “Saiba que sempre te amei”.




  
Supervisão e condução musical: Ira Newborn. Coreografia: Carlton Johnson. Figurinos: Deborah Nadoolman. Montagem: George Folsey Jr. Desenho de produção: John Lloyd. Direção de fotografia (Technicolor): Stephen M. Katz. Produtor executivo: Bernie Brillstein. Roteiro: John Landis, Dan Aykroyd. Produtores associados: George Folsey Jr., David Sosna. Produção de elenco: Michael Chinich. Direção de arte: Henry Larrecq. Coordenador de dublês: Gary McLarty. Música religiosa: Elmer Bernstein. Decoração: Hal Gausman, Leslie McCarthy Frankenheimer. Supervisores de script: Bill Kaplan, Katherine Wooten. Microfones: Earl Sampson. Mixagem de som: Buzz Knudson, Don MacDougall, Bob Glass. Gerentes de unidade de produção: Robert Lathan Brown, Tom Joyner. Assistentes de direção: David Sosna, Jerran Swartz, Leonor R. Garner Jr., Randy Carter, Richard Spinoza, John Syrjamaki. Supervisão de produção: Fran Roy. Operadores de câmera: Steven Yaconelli, Michael Bensen, Bill Birch, John T. Dustin, Mark Pearson, Alberto S. Ramos, Michael Simpson (não creditado). Edição musical: John Strauss. Maquiagem: Shotgun Britton. Penteados: Julia Walker, Ron Smith. Guarda-roupa masculino: Erwin W. Rose, Hugo Pena. Guarda-roupa feminino: Sue Dugan. Contrarregra: Michael C. Milgrom, H. John Ramos (não creditado), Mark Sparks (não creditado). Coordenadores de construções: Delane Lytle, Bob Magee. Assistente para o produtor executivo: Joel Briskin. Associado ao produtor: Deborah Hwang. Secretaria de produção: Catherine Cox. Assistente de coreografia: Ercelle Johnson. Assistentes de contrarregra: Ken Adachi, Aaron C. Holden (Chicago), Clint Robinson. Camareiro: Kenneth Milfred (não creditado). Capatazes de construções: Jeff Passanante, Michael Diersing (não creditado). Carpintaria: Ted Wilson (não creditado). Estagiário do Director's Guild of America: Brian Whitley. Pintura: Robert Misetich (não creditado). Planejamento do set: Charles William Breen (não creditado). Sinalização: Robert E. Knight (não creditado). Edição de efeitos sonoros: John Stacy, Robert Bradshaw (não creditado). Edição de som: George Fredrick, Michael D. Wilhoit (não creditado), Roger Sword. Playback: Glenn Williams (Chicago), Greg Morton (Los angeles), Craig Woods (Los Angeles). Produção de som: William B. Kaplan, Scott D. Smith. Efeitos especiais: Arthur Brewer, Roger Hansen, Robert Cole (não creditado). Equipe de efeitos especiais: Karl G. Miller, Jim Rollins, Leo Leoncio Solis, Robert E. Wayne Rose (não creditado). Assistente de pintura matte: Syd Dutton. Efeitos especiais visuais: Albert Whitlock. Efeitos visuais: Max W. Anderson (não creditado), Robert Blalack (MPI/não creditado), Jamie Shourt (MPI/não creditado). Equipe matte: Henry Schoessler (não creditado). Fotografia matte: Bill Taylor. Supervisão ótica: Fred Griggs. Artefatos de dubles: Uncle Bud, Jumb, Whiz Kid, Terrible Leon, Huff N. Stuff. Dublês: Blair Burrows, Gilbert B. Combs, Bill Couch, Jean Coulter, Carol Daniels, Jadie David, Eddy Donno, Champ Donut, Bud Ekins, Kenny Endoso, Gary Epper, Jeannie Epper, Richard Epper, Stephanie Epper, Leonard P. Geer, Kidd Gilbert, Mickey Gilbert, James M. Halty, Chuck Hayward, Freddie Hice, Johnny Hock, Chuck Hollum, Tommy J. Huff, Dean Jeffries, Harold Jones, Walt La Rue, Terry Leonard, Gary McLarty, Karen McLarty, Bennie Moore, Stevie Myers, Kitty O'Neil, Alan Oliney, Brad Orrison, Mark Orrison, Victor Paul, Jonathan Pendragon, David Perna, Charlie Picerni, Lee Pulford, J.N. Roberts, R.A. Rondell, Wally Rose, Tanya Russell, Sharon Schaffer, Bill Sherman, Jan Michael Shultz, John Sistrunk, Peter Stader, Tom Steele, Joe Stone, Bob Terhune, Sammy Thurman, Casey Van Horn, Bud Walls, Ethan Wayne, James E. Wayne, Brian Whitley, Karl A. Wickman, Walter Wyatt, Dick Ziker, Steven Burnett (não creditado), Eddy Donno (não creditado), Scott Hamilton (não creditado), Tommy J. Huff (não creditado), James E. Allard, John Ashby, Bobby Bass, Pamela Bebermeyer, Ray Bickel, Clay Boss, May Boss, Steve Boyum, Janet Brady, Greg Brickman, Layne Britton, Jophery C. Brown. Assistentes de câmera: Bob Amerian, George Kohut, Mako Koiwai, James LeBlanc, Joseph Cosko Jr., Tom Cox, John LeBlanc, Jim Mazzula, Stan McClain, George Mooradian, Rick Fee (não creditado), Ann Lukacs (não creditado). Eletricistas: Doug Smith, Marion Sykes, Ted Varnadoe, Arvel Youngblood, Vincent Contarino (não creditado), Michael J. Schwartz (não creditado), Ed Auksel, Greg Cantrell, Louis Cole, Tony Constanini, Douglas Dick, Peter J. Donoghue, Jim Etter, Mark Hogan, Dustin A. Huber, John Hudecek, Alan H. Leder, Vera Lynn, Bradley T. Matthys, Jim Miller, Tim Morton, Charles E. Nippell, Keith Pallant. Eletricistas-chefes: David Jarrell, Robert Woodside. Fotografia de cena: Peter Sorel, Melinda Wickman, Dean Williams (não creditado). Maquinistas: Mark Stanley, Cary Vignal, Frank Detone Jr (não creditado), Roger G. Anderson, David Brauer, Timothy Brennan, David G. Brown, Dennis De La Mata, Dennis DiCristina, Douglas Downworth, Derek Garth, Ray Kinzer, Edward C. Kras, Mel P. Mack, John E. McCarthy, John Robert Miller, Alberto S. Ramos. Operador de câmera aérea: David L. Butler. Operadores gerais: Ju Kuk Chun, Harry Jukes, Russell McCarthy. Pilotos de helicóptero: Fred Ligman, David B. Nowell, Kent Ryan, Gary Small, Karl A. Wickman, David Wolf, Richard Holley, J. David Jones, Mark Pearson. Técnico de iluminação: Adam Glick (não creditado). Assistentes de produção de elenco: Sandra Dawes, Jo Doster, Lisa Gottlieb, Pemon Rami. Confecção de vestuário: Sue Dugan, Hugo Peña, Ervin W. Rose, Haleen K. Holt (não creditado). Aprendizes de montagem: Ginger Chulack, Vaune Kirby Frechette, Peck Prior. Assistentes de montagem: John Carbo, Michael Cipriano, Glenn Kaplan. Associados à montagem: Malcolm Campbell, David Ramirez. Colorização: Virgil A. Tanner. Montagem do negativo: Donah Bassett. Assistente de edição musical: Lori Hollingshead. Edição musical: John Strauss. Assistente de engenheiro de gravação: John Michael Weaver (não creditado). Capitães de transporte: Dan Anglin, Bob Cornell. Transporte: Byron Carter, Dan Loveless, Patrick Nallon, James Riccio, Frank Khoury (não creditado), Kathleen Long (não creditado). Alimentação: Antonio De Leon, Tony Kerum. Assistente de auditoria: John Kochian. Assistente de coreografia: Ercelle Johnson. Assistentes de produção: Jeff Leith, Suzan Reed-Sosna, Marvin Towns Jr., Urban 'Spark' Ullman, Linda Veugeler, Michael Goi (não creditado), Mark Mamalakis (não creditado), Lih Janowitz, Richard Kawecki, William Bannister, Katterli Frauenfelder, Susan Goldberg, Andrew Goodman, Nikol Hegarty. Assistente para John Belushi: Karin Fraas. Assistente para produção executiva: Joel Briskin. Assistente para o publicitário: Chrisann Verges. Assistentes da gerência de viagens da Blues Brothers Band: Leroy Kerr, Lou Volpano. Associado à produção: Deborah Hwang-Marriott. Auditoria: Ron Filbert, Sherrill Patten. Consultoria de roteiro: Ron Gwynne. Gerente de viagens da Blues Brothers Band: Morris Lyda. Habilidades: Jeff Winn (não creditado). Locações: Danae Walczak, Julie Chandler, Marla Cohen, Marty Fraser. Mecânicos: Tim Meeks, Eddie Olmstead, Gordon Jernberg, John Alekna. Médico: Mitchell El Mahdy. Operações especiais: George Koopman. Planejamento de créditos: Stinky Levitsky. Publicidade: Saul Kahan. Representante do American Film Institute (AFI): Linda Feferman. Secretaria da produção: Amy McElhenney, Catherine Davis Cox. Supervisor e produtor da Blues Brothers Recordings: Bob Tischler. Vídeo: Dan Brewer. Companhia de efeitos especiais: Motion Pictures (MPI/não creditada). Publicidade para a gravação da trilha musical: Atlantic Records. Serviços óticos: Creative Film Arts. Companhia de gravação: Fantasound, Wally Heider Sound. Promoção do concerto: KMET-FM. Fornecimento de alimentação: Michelson Food Services. Orquestra para A cavalgada das valquírias: Pittsburgh Symphony Orchestra. Serviços de publicidade: Solters & Digney. Estúdio de regravação de som: Todd-AO Scoring Stage. Estúdio de gravação musical: Universal Recording Studios Inc. Sistema de mixagem de som: Stereo em quatro canais. Tempo de exibição: 133 minutos.


(José Eugenio Guimarães, 1993)

2 comentários:

  1. Una gran entrada,un artículo muy completo,en las producciones de este arte nunca se sabe,a veces gastan millones en una producción que resulta una gran pérdida económica...Otras veces con poco presupuesto se logra un gran éxito en la taquilla...Sin embargo es el séptimo arte,finalmente siempre bello... Gracias por compartir ,te mando abrazos y dulce beso...!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muchas gracias por la visita y por el comentario, Maria Del Socorro Duarte. ES una película muy agradable, que fracasó cuando fue lanzada en los cines pero tuvo publico y admiradores ampliados gracias al mercado de VHS/DVD y Blu-Ray. La música es elemento fundamental para el poder de atracción que la película ejerce.

      Abrazos y dulce beso.

      Excluir